Blogger templates

31 de mar de 2010

Voltaremos em breve!

Queria pedir desculpas pra galera que tem acompanhado o blog sempre.
Estou com dificuldades em fazer atualizações por aqui, e acabo ficando bolado com isso. Ainda mais quando tem tanta coisa acontecendo!
Semana passada morreu o grande mestre Dick Giordano e eu gostaria de ter tido tempo pra postar algo em sua homenagem, mas infelizmente não deu.

Estou correndo bastante, pois a faculdade tem me consumido um tempo grande entre estudos e trabalhos, e agora começam as provas, aí fica difícil parar pra fazer algo, a não ser dar uma adiantada em desenhos que estavam esperando para ser pintados.
Tenho 3 HQs na fila e ainda nem toquei no lápis!
Realmente tá foda!!!!

A boa notícia é que estou trabalhando, aos poucos, num novo lay-out pro blog. Até bolei uns personagens para comporem o cabeçalho, e ia fazer um concurso para escolher um deles, mas como esse papo de concurso demora pra caramba e não é todo mundo que participa, apesar de ter tido uma boa visitação no blog ultimamente (200 pra mais por dia), acabei desistindo disso...

Já finalizei o novo mascote do blog e em breve todos vocês conhecerão a peça!
Vai ficar legal, pode ter certeza.

Esses são os estudos que fiz para os personagens. Lembrando que o novo não é nenhum deles.


Subo
 
Micheca

um Sapo Cururu
Um Camaleão

Outra coisa, recebi o convite para participar de um blog bem legal e daqui a 1 semana eu finalizo minha primeira matéria para ele. Eles vão começar a publicar meus posts toda quarta-feira. Assim que tiver tudo pronto, eu passo o link desse blog pra vocês.

Ah! Apesar do tempo corrido continuo fazendo ilustrações, caricas e desenhos para tatuagem, ok?
Quem quizer ter um trampo meu é só entrar em contato!


Valeu!!!

28 de mar de 2010

Como foi o Risadaria


Já faz uma semana que fui no Risadaria e tava pra postar algo por aqui. Arrumei então, um tempinho para que o post não ficasse tão defasado assim.
Bom, pra quem não sabe, esse mega-evento, realizado no Pavilhão da Bienal do Parque Ibirapuera, foi criado pelo Paulo Bonfá com a ajuda da Infinito Cultural para demonstrar ao público o quanto nós brasileiros estamos envolvidos com o humor.



Lá, o  público teve acesso a um conteúdo bem democrático e abrangente, com as produções mais relevantes da TV, rádio, cinema, internet, na área gráfica, com tiras e cartuns de grandes talentos como Fernando Gonsales e Angeli, no teatro, nos hospitais, com os Doutores da Alegria e até os manjados stand-up comedies.




Rolaram palestras muito interessantes como essa que fui com o Antônio do Kibe Loco, o Maurício Ricardo do Charges.com e Sérgio Batista o editor (ir) responsável pelo Humordatela.

 
Outro encontro que foi marcante para os participantes, foi a reunião dos cartunistas Angeli e Laerte, que relembraram histórias envolvendo o amigo Glauco, que participaria também desse encontro se não tivesse sido assassinado. O debate foi mediado por José Simão, colunista do jornal "Folha de S. Paulo", e o bate-papo dos cartunistas com o público teve como preferência assuntos relacionados a amizade e trabalho com o Glauco.


Laerte ficou emocionado e chorou ao falar do amigo e Angeli, sob muitos risos, contou como o Los 3 Amigos acabaram: "O Glauco tinha desencanado de desenhar os personagens por mais de dois anos. Aí liguei para ele certo dia e disse que iríamos parar com o Los 3 Amigos. E ele: ‘Mas por quê? Está tão bom!’".

 Danilo Gentilli
 As Olívias

Houveram também os Encontros Gozados, uma série de apresentações de humoristas conhecidos, mas que estavam com o ingresso mais caro. Acabei ficando pelo "Palco Devassa" onde tinham bastante apresentações de stand-up comedy, na faixa, mas mesmo assim muito boas!

Mas a parte que mais curti foram os painéis gigantes de tiras que estavam espalhados pela rampa da Bienal. Muita coisa legal.
 
 
 
 
 
 
 
Nas tvs da área de exposição, programas antigões faziam a alegria de quem lembra e os assistia.
Programas como a TV Pirata, Perdidos na Noite, e O Planeta dos Homens:
 
 Olha o "naipe" dos figuras!
 Faustão quando era gordo... e engraçado.
 O fantástico Bronco, de Ronald Golias.

O sistema utilizado era bem interessante. Em cada um desses "balões", ficavam quatro tvs passando o mesmo programa. À uma distância de mais ou menos 1,5m ficavam outros balões elevados, com um sistema de som que só era captado se você permanecesse abaixo deles. Assim que você se afastava não era mais possível ouvir nada.
 
 
A exposição "Chico Anysio" também tava bem legal e recheada de caricaturas de artistas como Baptistão, Dálcio Machado, Paffaro, Gilmar, Ziraldo e outros. Havia um mostruário das roupas utilizadas por ele para compor os seus famosos personagens, além de tvs que passavam alguns momentos de seu programa.



  
"Vai comendo, Raimundoooo!"
Nazareno e a "titia" Monique Evans.

E por último, mas não menos importante, rolou também dois painelzões onde você podia deixar uma homenagem ao Glauco. No meio, uma tv passava as homenagens feitas pelos artistas através do blog do UniversoHQ.
O difícil foi achar espaço para fazer algo!!!
Mas eu consegui deixar o meu recado. Um Glauquinho, meio assustado, sentado numa nuvem.


 
É isso!
Risadaria, com certeza, foi totalmente excelente!

Street Fighters Zombies

Já falei que curto zumbis, certo?
Então, não é a toa que fico caçando coisas sobre o assunto por aí.
Dessa vez me surpreendi com uns desenhos do game Street Fighters! Alguns dos personagens da Capcom foram transformados em zumbis pelo artista que assina como Manuhell. Postados num site chamado CGhub, eles mostram como seriam as versões "comedores de cérebro" dos lutadores de rua!
Saca só que incrível!

O herói Ryu na versão zumbi com o "Raduken" na veia!
Sagat ficou meio parecido com um Dalshim super-forte
 Blanka a la Venom
Akuma com um rombo no panceps
A gatinha Cammy toda rasgada

Bom, tá certo que eu gosto de filmes, games e quadrinhos de zumbis, mas em se tratando da Cammy, bem, eu prefiro ela interinha assim:


E você? =)

Caricartoon: Renato Russo


Fiz essa caricartoon em homenagem à Renato Russo, que no dia 27 de Março estaria completando 50 anos de idade se estivesse vivo.
O cantor e compositor morreu novo, aos 36 anos em consequência de complicações causadas pela AIDS, da qual era soropositivo desde 89, mas deixou um legado na música brasileira, pelas belas canções que compôs, e milhões de fãs, alguns dos quais chegam a considerar sua banda, a Legião Urbana, quase como se fosse uma religião. Existia um trocadilho na época para chamar a banda, que era Religião Urbana. Renato nunca curtiu esse título.
Enquanto vivo, Russo sempre foi classificado como um guru adolescente, mas o título de rebelde drogado, também lhe cabia vez ou outra. Era um cara bem "cabeça" e possuia uma bagagem intelectual grande, que vinha da poesia e da filosofia, da qual pegou emprestado o nome artístico, uma homenagem aos filósofos suíço Jean-Jacquesa Rousseau e o inglês Bertrand Russel, e na parte "artística" ao pintor francês Henri Rousseau. Fã de Beatles, tinha profundo conhecimento em música, pois era um devorador de discos, colecionava desde os eruditos até o punk mais podre.
Através da literatura de Camões, criou uma das músicas mais bonitas, Monte Castelo, feita em cima dos versos de Luis de Camões e recortes do apóstolo Paulo.

Durante sua carreira solo, Renato teve uma fase "romântica", onde gravou um disco (Equilíbrio Distante) só com músicas italianas. Confesso que não curti nem um pouco essa fase e acho esse álbum muito brega (assim como todas as cartas de amor, como já dizia o poeta), porém 1 milhão de pessoas discordam dessa minha opinião. O albúm foi um grande sucesso! Já The Stonewall Celebration Concert (1994), seu primeiro disco solo gravado totalmente em inglês, em homenagem aos vinte cinco anos da Rebelião de Stonewall em NY, é legal mas vendeu só 250 mil cópias. O legal desse disco é que parte dos royalties foi doada à campanha Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida.

Eu ouvia bastante Legião durante minha adolescência e tenho boas recordações dessa fase. Pena nunca ter assistido a um show deles.
Renato Russo era um grande letrista. Fico me perguntando quando (e se) teremos a oportunidade de ter mais um poeta desse calibre em nossa música. Porque o que temos hoje por aí, em termos de bandas de rock, já passou do vergonhoso!

Recentemente foram feitas duas animações bem legais, com as músicas Faroeste Caboclo e Eduardo e Mônica, pelo Peixe Aquático. Confira aí!


26 de mar de 2010

24 de mar de 2010

VAL Tetralogia - Volume 2

Impressora 3D

Já foi lançada no Brasil, sem preço divulgado, a impressora 3D Dimension Elite, da Stratasys, feita para realizar prototipagem rápida.
O aparelho é recomendado para engenheiros e designers para a moldagem de modelos com detalhes precisos. Ela é silenciosa e não emite gases tóxicos.
O vídeo já explica tudo e melhor.
 
Só tenho uma coisa pra falar: Cara, queria ter uma dessas! Eu ia encher de "action-figure" a minha estante!!!

22 de mar de 2010

Foto Design

Cara, essas duas fotos me lembraram muito minha infância, quando eu passava as tardes lendo meus quadrinhos e engordando como um porco com essas paradas industrializadas.
Hoje a diferença é que eu leio bem menos quadrinhos de super-heróis, mas continuo engordando, só que agora à base de cerveja e muita massa (Maledeto sangue italiano!)!

Mas eu havia falado em fotos? Foi só pra confundir...
Talvez você não vá acreditar, mas essas duas imagens são desenhos (!!!), feitos pelo designer Doug Bloodworth. Saca só que perfeição!!!


Kick-Ass é legal!


Taí uma notícia que me animou um pouquinho a assistir o filme Kick-Ass. Segundo a galera do Omelete, o filme é muito bom e supera alguns entraves que a HQ teve devido à censura que a própria editora impôs aos autores, Mark Millar/Romitinha. E olha que eu achava que isso não rolou!!!
Dificilmente você vê violência, esquartejamento e peitinhos numa HQ da Marvel, então...

Segundo o jornalista Erico Borgo, a adaptação às telas da trama apresentada nos quadrinhos funciona melhor como imagens em movimento do que na própria HQ. Segundo ele, a linguagem do cinema favoreceu a história, eliminando tramas paralelas e evidenciando a ação e reação dos personagens, como por exemplo, o desfecho do primeiro embate de Kick-Ass.

Outro ponto levantado é que a HQ depende muito de referências cinematográficas, como os filmes do Homem-Aranha, e que essas imagens ficaram muito mais poderosas replicadas na telona do que emuladas em papel. Bom, aí já acho que são mídias diferentes, portanto não dá pra fazer uma comparação dessas. Pelo que eu entendi, existem várias referências, não só à filmes como à quadrinhos também, e que elas eram só pra ser referências "nerds" pra demonstrar a personalidade do personagem Dave Lizewski
, nada mais que isso. Me parece que na tela isso vai ser explicado de forma para que leigos que já assistiram a filmes de super-heróis tenham a capacidade de entender a trama. Acredito que serão utilizadas mais referências pop no filme do que as mesmas da HQ. Bom, espero que eu esteja enganado...

Borgo ainda diz que Matthew Vaughn, o diretor do filme, resolveu vários problemas do texto de Mark Millar, especialmente relacionados ao final da minissérie. Hum, será que teremos mais um filme com "final elegante" totalmente diferente do original???
Parece que estão tentando criar um universo do herói no cinema. Uma espécie de Kill Bill com crianças de colantes. Isso seria uma merda, na verdade!


Bom, eu vou ser sincero, não gostaria de duvidar da opinião do Omelete (que leva o entretenimento à sério) sobre o filme, mas de repente pode estar rolando uma "chapa branca" em relação ao filme, já que até o subtítulo dele, coube ao site organizar um concurso para a escolha. 
Mas veja bem, analisando que Nicolas Cage está "muito engraçado" como Big Daddy - um cara totalmente sério e amargurado na HQ, as cenas de ação são explosivas, "a música empolgante e referências pop pra todos os lados", existe uma grande possibilidade de ser um filme mais "massa véio", feito pra molecada que curte Transformers, do que exatamente aquilo que eu li e curti tanto nas HQs.

Bom, resta esperar até 11 de Junho (ou antes, dependendo das circunstâncias) pra assistir ao filme e analisar se ele valeu a pena ou não... 

Eu ainda prefiro à HQ!

desenho de Charles Holbert Jr.

20 de mar de 2010

Brodágem Demais!!!

Cara, essa é uma das melhores homenagens que vi feitas para o Glauco e é lógico tinha que partir de um companheirão do cara, o Angeli.

Não precisa nem explicar muito... Vale apenas a imagem.

Bugs Steampunk


Existe um subgênero da ficção científica que ganhou uma relativa fama no final dos anos 80, início dos 90, chamado Steampunk. Trata-se de obras ambientadas no passado, ou num universo semelhante a uma época anterior da história humana, no qual os paradigmas tecnológicos modernos ocorreram mais cedo do que na história real, mas foram obtidos por meio da ciência já disponível naquela época - como, por exemplo, computadores de madeira e aviões movidos a vapor. É um estilo normalmente associado ao cyberpunk e, assim como este, tem uma base de fãs semelhante, mas distinta.
O gênero Steampunk pode ser explicado de maneira muito simples, comparando-o a literatura que lhe deu origem. Baseado num universo de ficção cientifica criado por autores consagrados como Júlio Verne no fim do século XIX, ele mostra uma realidade espaço-temporal na qual a tecnologia mecânica a vapor teria evoluído até níveis impossíveis (ou pelo menos improváveis), com automóveis, aviões e até mesmo robôs movidos a vapor já naquela época.

Este tipo de enfoque não é novidade, tanto na mídia quanto nos RPGs. O gênero Steam (vapor em inglês) há muito vem se popularizando e se mostra aos nossos olhos em filmes e desenhos animados como, a série O Mundo Perdido, a HQ do Rocketeer, o filme Capitão Sky e o Mundo de Amanhã, o seriado e o filme James West, o filme De Volta Para o Futuro III e os anime Steamboy e Full Metal Alchemist. Os filmes como A Liga Extraordinária e Van Helsing também são  exemplos de filmes que mostram este estilo.

Você acha uma infinidade de coisas e pessoas caracterizadas no estilo Steampunk hoje na internet. Uma coisa interessante que vi a alguns dias atrás está relacionada com insetos!!
Um maluco de nome Mike Libby, criou o Insect Lab, um projeto que adiciona antigas peças de relógio e outros componentes tecnológicos e transforma reais espécimes de insetos em modelos Steampunk.
De joaninhas à gafanhotos, cada um é minuciosamente adornado à mão por estas peças, se transformando em originais esculturas, celebrando a união entre a natureza e a tecnologia. 


Segundo o artista que faz essas esculturas ultra-detalhadas, ele pretende, através de diversos materiais e metodologias, explorar temas da ciência, natureza, fantasia, história e biografia, salientando as correspondências ilógicas e aguda entre o real e o irreal.

Ele já participou de várias exposições coletivas e solo, em todo os E.U.A e Canadá.




Tudo começou quando ele achou um intacto besouro morto. Então, com apenas um relógio de pulso antigo, o transformou em um pequeno dispositivo mecânico, equipando-o com suas peças.
Hoje, ele utiliza espécimes vindas de todo canto do planeta, da África, China, Nova Guiné, e até do Brasil!



Além de ser algo muito interessante de ser visto, esse tem se mostrado um baita negócio para o artista. Sim! Ele vende algumas peças por encomenda e com certeza, acredito que nenhuma delas deve ser (desculpem o duplo sentido infame) barata!




Fontes:
Wikipedia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...