Blogger templates

27 de mai de 2007

Shaolin Monk


Mestre Shaolin Kun Lao é um dos personagens que criei para a história do Clã das Taturanas.
Ele é um monge, mestre no Kung Fu Shaolin.

Entenda um pouco sobre o Shaolin Kung Fu e sua história aqui em baixo:

Um pouco sobre o Shaolin


Shaolin é a mais famosa escola de Quanshu (A Arte das Mãos livres).
 
Shaolin Kung-fu é assim chamado em virtude de ter sido criado no Monastério Shaolin nas montanhas Song (Songshan), no município de Dengfeng, na Província de Henan. Ao redor destas montanhas existem muitos lugares de interesse histórico - túmulos antigos, pagodes, placas de pedra com inscrições e templos construídos em diferentes épocas. Dentre as muitas relíquias, o parcialmente preservado Monastério Shaolin é o mais famoso.
 
Tendo origem das Dinastias do Norte e do Sul (420-589) e apogeu nas Dinastias Sui (581-618) e Tang (618-907), sofreu numerosa variações em eras subseqüentes.
Em 495, um monge indiano chamado Batuo veio à China para pregar o Budismo. Como um devoto seguidor da religião, o Imperador Xiao Wen ordenou a construção do monastério para o monge visitante nas montanhas Song. O monastério foi chamado Shaolin por estar localizado numa floresta (Lin, em chinês) sob o lado sombrio da cadeia de montanhas Shaoshi, que compõe um dos lados de Songshan.
O Monastério Shaolin teve uma história turbulenta. Foi seriamente afetado por incêndios em três guerras, sendo o primeiro na Dinastia Sui, o segundo na Dinastia Qing (1644-1911) e o terceiro – o mais catastrófico de todos – em 1928, quando o fogo destruiu templos e valiosos documentos, que relatavam o estudo do desenvolvimento do Shaolin Kung-fu, por mais de 40 dias.
As estruturas arquitetônicas que sobreviveram à destruição incluem a Entrada da Frente, o Salão de Convidados, o Pavilhão Bodhidharma, o Salão do Mento Branco, a Câmara dos Mil Budas e a Floresta das Placas de Pedra. Não evidências conclusivas de quem criou o Shaolin Kung-fu, nem quando foi criado.
 
Algumas pessoas dizem que esta arte foi desenvolvida por Bodhidharma, um monge indiano que veio à China 30 anos depois de Batuo. Outra fonte diz que a prática da arte marcial no Monastério Shaolin iniciou-se artes de Bodhidharma através de dois discípulos de batuo, Hui Guang e Seng Chou. Atualmente, estudiosos e pesquisadores compartilham a idéia de que a origem do Shaolin Kung-fu não deve ser atribuída a uma só pessoa ou a uma simples escola do Monastério Shaolin. Eles sustentam que o Wushu de Shaolin foi criado e desenvolvido pelos monges do monastério ao longo dos anos, com bases em formas populares antigas.
Shaolin Kung-fu serviu, pela primeira vez, para propósitos militares na Dinastia Tang, quando o primeiro imperador, Taizong, pediu auxílio ao Monastério Shaolin para combater Wang Shichong, que queria estabelecer um regime separado em Louyang. Trabalhando em conjunto com as tropas imperiais, os monges-guerreiros Shaolin capturam Wang vivo. Treze deles foram condecorados por serviços prestados, incluindo o Monge Tan Zong que recebeu o título de General. Além disso, o monastério recebeu 400 mu (1 = 1/6 acres) de terra e apoio para o treinamento marcial dos monges. Em seu apogeu, Shaolin possuía um contingente de cinco mil monges – guerreiros e era conhecido como “O Monastério Nº 1 sob o Céu”.
 
Além dos exercícios Shaolin de mãos livres , os monges também praticavam qigong (exercícios respiratórios), montaria e combate com armas. De fato, eles tornaram-se um destacamento especial do Exército Imperial. Na metade da Dinastia Ming (1368-1644), a costa da China sofria freqüentes saques dos Japoneses. Em 1522, o Monge Yue Kong liderou um grupo de elite de 40 monges Shaolin na região do rio Songjiang, na província de Zhejiang, contra os invasores. Usando bastões de ferro como armas, eles combateram com bravura e venceram muitas batalhas antes de patrioticamente perderem suas vidas.Com ligação direta com a corte, os monges-guerreiros shaolin não ficaram isentos de ser utilizados como elementos de repressão. Em 1341, eles atacaram os Turbantes vermelhos, um exército de camponeses rebeldes. A batalha foi retratada no mural da Câmara do Manto Branco.
 
Supõe-se que um monge leve uma vida reclusa, mas os de Shaolin, sendo versados em artes marciais, estavam freqüentemente envolvidos em questões políticas. Mesmo utilizando os monges para seus fins, a classe dominante temia o seu poderio militar. Durante a Dinastia Qing, os monges Shaolin foram proibidos de praticar artes marciais. Em 1723, quando o monastério estava sendo reformado, a planta da construção teve que ser submetida a exame pelo imperador, que decretou que os monges passariam a ser supervisionados por um monge superior apontado pela corte. Por outro lado, como resultado do patronato imperial, o Shaolin Kung-fu cresceu de maneira sólida em termos de prestígio e popularidade. Numerosos peritos em Wushu foram a Shaolin aprender a arte, enquanto auxiliavam a aperfeiçoá-la.
 
Conta-se que, antes de ocupar o trono, o primeiro imperador da Dinastia Song (960-1279) fez um estudo intensivo do Shaolin kung-fu e, baseado em seus padrões básicos, desenvolveu 36 formas de Changquan (Punho longo) que, mais tarde, derivou numa escola com seu nome. Durante as Dinastias Jin e Yuan (1115-1368), um perito em Shaolin Kung-fu chamado Bai Yufeng, baseado na essência do tradicional Wuqinxi (Jogo dos cinco animais), criou seu próprio “Cinco Exercícios de Mãos Livres”, imitando os movimentos do Dragão, Tigre, Leopardo, Serpente e Garça. Seu contemporâneo Velho Li, que era versado em diferentes escolas de Shaolin Kung-fu, trabalhou para disseminá-lo em vastas áreas das Províncias de Henan, Shannxi e Sichuan.
Foi a partir deste momento que o Shaolin Kung-fu saiu dos limites dos círculos budistas e estabeleceu-se como uma escola independente de wushu. Este fato permitiu que inúmeras variações surgissem, o que possibilitou uma crescente influência sobre outras escolas.
Dois afrescos na Câmara do Manto Branco do Monastério Shaolin mostram monges se exercitando.
 
Pintados em 1662, o do muro norte retrata exercícios de combate de Liuhequan e o do muro sul ilustra combates armados, ambos destacando claramente movimentos de braços, pernas, olhos e corpo da Escola Shaolin.
Equilibrando força e graça, ou “rigidez” com “suavidade”, os movimentos de Shaolin Kung-fu são simples e compactos, rápidos e sólidos, e são todos realizados em posturas naturais e flexíveis juntamente com um trabalho de pernas firme e leve. Os socos são como ondas, com os braços que parecem não estar flexionados nem completamente estendidos. Os olhos estão fixados no adversário, lendo suas intenções. Em combate, o mestre de Shaolin Kung-fu tem aparência impetuosa, mas permanece internamente calmo. Longe de ser uma arte de demonstração, Shaolin Kung-fu possui definidos propósitos práticos. Uma vez que foi desenvolvido para o combate a curta distância, pode ser praticado em espaços pequenos
 
Há seis princípios básicos para o Shaolin Kung-fu:
  1. Seja hábil. Os movimentos devem ser variados, não telegrafados e flexíveis.
  2. Seja discreto. Derrote seu oponente utilizando sua própria força, “assim, você poderá derrubar uma pessoa que pesa 100kg, usando uma força que move 0,5kg”.
  3. Seja corajoso. Ataque sem hesitação, toda vez que houver oportunidade.
  4. Seja rápido. O oponente pode ver sua mão, mas não seu soco.
  5. Seja impetuoso. Golpeie os pontos vitais.
  6. Seja prático. Todos os movimentos possuem um fim estratégico.
Concluindo, todas as técnicas devem ser aperfeiçoadas para que se alcance o máximo de eficácia. Naturalmente, isto envolve longos anos de prática, como está evidenciado nas cavidades encontradas no solo de bloco de pedra do Templo dos Mil Budas do Monastério Shaolin. É dito que estas depressões tiveram origem em decorrência dos intensos treinamentos dos monges, ao longo de inúmeras gerações.

A Rã da Sorte

"Decidi matar um dia de serviço na empresa e fui jogar golfe. Quando estava escolhendo o taco para o segundo buraco, notei que havia uma rã perto dele. A rã coaxou:
- "Croc-croc, taco nove".
Achei graça e resolvi provar que a rã estava errada. Peguei o taco sugerido e bati na bola. Qual não foi a minha surpresa ao ver que a bola parou a um palmo do buraco!
Eu exclamei para o batráquio:
- "Uau, fantástico! Será que você é uma rã da sorte?".
A rã respondeu:
- "Croc-croc, rã da sorte".
Resolvi levá-la comigo até o próximo buraco.
- "O que você acha, rã?", perguntei.
- "Croc-croc, madeira três", disse ela. Peguei o taco três e bati. Bum! Direto no buraco! Fiquei espantado, sem fala. No fim do dia, tinha feito a maior pontuação em golfe de toda a minha vida. Aí, perguntei à rã:
- "Legal. E agora?" Ela respondeu:
- "Croc-croc, Las Vegas!". Então, fomos para Las Vegas, e a rã sugeriu um novo jogo de roleta no elegante cassino do Caesar's Palace. Lá chegando, perguntei o que deveria apostar.
- "Croc-croc, 10 mil dólares, preto 21, três vezes seguidas".
Aquela aposta era alucinada , mas não hesitei. Pus todas as minhas fichas. E acertei na cabeça. Ganhei uma fortuna de milhões de dólares. Peguei toda aquela grana e fui para a recepção do hotel, onde exigi a suíte imperial.

Tirei a rã do bolso, coloquei-a sobre os lençóis de cetim e disse:
- "Rãzinha, não sei como lhe pagar tantos favores. Você me fez ganhar tanto dinheiro, que lhe serei grato para sempre".
A rã respondeu:
- "Croc-croc, beije-me. Mas tem que ser na boca".

A princípio, tive nojo, mas depois pensei em tudo o que ela tinha feito por mim e vi que a bichinha merecia qualquer sacrifício. Como o meu beijo demorou vários minutos, ela inacreditavelmente foi se transformando numa linda ninfeta de 16 anos, completamente nua e, sentada sobre mim, foi me empurrando bem devargarzinho para a banheira de espuma.

- "Juro por Deus, meritíssimo: foi assim que esta menina foi parar no meu quarto".

24 de mai de 2007

Bio Tick

A idéia de fazer um Louva-a-deus Biomecânico sempre me acompanhou e volta e meia estou eu lá desenhando um.
Esse é um dos definitivos.
Gosto muito desse inseto, que fez parte da minha infância, pois eu vivia brincando com um (na verdade zuando o coitado) no jardim de casa.

O Louva-a-Deus é um inseto da ordem Mantodea, e há cerca de 2000 espécies!!!
Seu nome popular decorre do fato de que quando está pousado o inseto lembra uma pessoa orando.
São predadores agressivos que caçam principalmente moscas. A caça é feita em geral de emboscada, facilitada pelas capacidades de camuflagem.
Eles não possuem veneno, mas sua voracidade é impressionante!

O vôo do louva-a-deus é também algo impressionante. Copia muito bem um vôo de um caça de combate. Ele também tem a capacidade de desviar de ataques de morcegos em pleno vôo executando mergulhos.
O Louva-a-deus é um animal muito venerado na China, tendo inclusive estilos de Kung Fu baseados em seus movimentos.

18 de mai de 2007

Homem-Elástico

Particularmente eu não curto essa versão do Senhor Fantástico metido a engraçadinho da DC, mas sobre esse contexto e essa arte maravilhosa de Kyle Baker... eu aprovo!!!
Alguém lembra do desenho que passava na TV?

12 de mai de 2007

Escorpião de Prata

da série Heróis Nacionais - parte 4






Personagem criado por Eloyr Pacheco e Wilson André Filho (Will).
Suas histórias estão ainda em desenvolvimento.
Na imagem acima, uma versão do Escorpião de Prata com outro uniforme, já que quando eu estava fazendo o desenho, ainda não tinha referência das cores utilizadas no personagem - azul e cinza.

Quem quizer conhecer mais...

http://fotolog.terra.com.br/escorpiaodeprata:9

Pastor Joseph Fart Jr.



Me desculpem os "evangélos", mas isso é hilário!!! =)


10 de mai de 2007

Dragão Verde

Esse Dragão fiz no final de 2006. Tô postando esse, porque a idéia é fazer uma série com Dragões.
Enjoy it!!!

7 de mai de 2007

Homem-Aranha 3 - resenha do filme

(se você não assistiu ao filme, por favor, não leia isso!)
.
Véio, sinceramente eu tava adiando e muito essa resenha.
Primeiro, porque sou fã para caray do Aranha e voltei um tanto confuso e decepcionado do cinema.
Outra é que já existem rumores de um quarto filme apontando por aí, até com vilões definidos.
Hoje eu li no site Omelete que mesmo sem Sam Raimi ou Tobey Maguire, o quarto filme da franquia vem aí, com o (eu tinha medo disso) Carnificina como vilão, mesmo depois de Arad dizer que isso era impossível. Junto ao “filho do Venom” teremos o Lagarto e a Gata Negra.


Bom, o Lagarto era de se esperar que um dia fosse aparecer, afinal de contas o professor de Peter, Dr. Curt Connors aparece desde o primeiro filme!
A Gata Negra é outra boa surpresa pra nós homens, mas não sei por que esse nome me faz pensar diretamente naquela tosquice da Mulher-Gato de Halle Berry.

Acho que como a Mulher-Gato de Michelle Pfieffer nunca existirá outra igual!
Mas o assunto é a gata da Marvel, né? Ela vai ter que ser sensual e não ter aquelas patifarias e trejeitos de gata no cio.


Bom, mas o mais importante, é como será esse roteiro em relação ao relacionamento do Aranha com ela? A Mary Juana Watson vai tomar outro corno, em outro filme? Bah!

Como diria a Tia Regininha Duarte: “Eu tenho medo!”

Então, vamu lá!
Vamos falar do decepcionante Homem-Aranha 3...


Fui pro cinema empolgadíssimo para ver o que na minha opinião seria um dos melhores filmes de super-heróis do tempo, enfim um grande filme. Bem que, no caminho, eu vinha mentalmente me dizendo:
“Veio, não empolga. A expectativa geralmente te faz cair do cavalo...”


Bingo!


Ainda não entendi, não assimilei o filme, ele ainda tá aqui ruminando na minha cabeçorra.
Porra! Parece existir a primeira parte do filme, dirigida por Sam Raimi e a segunda dirigida provavelmente por algum estagiário dele...
Tá meio estilo Grindhouse! Dois filmes em um!


No começo tava tudo bem...divertido e bem adaptado como os outros dois, as cenas de J. J. Jameson com os remédios tá impagável e a do encontro de Peter com MJ num restaurante francês, com a participação do amigão de Raimi, Bruce Campbell, como um métre atrapalhado, também.
As cenas de ação são soberbas, mas aí você me pergunta:
“Tá reclamando de quê, então seu fã ingrato!”

Roteiro...

Como a maioria das críticas que você deve ter ouvido por aí...
Não vou me estender, pra não ficar chato, mas quem acompanha as histórias do Aranha há muito tempo, vão concordar comigo...

1° mancada – Origem de Venom
Apesar de ter sido usada como origem de Venom no desenho animado de TV, ficaria bem mais sustentável se usassem, até como link do segundo filme, a volta do filho de Jameson da Lua com o simbionte em sua nave.
2° a união do Homem Areia com Venom.
Ele diz várias vezes no filme que não é um cara mau, só um cara que deu azar na vida. Por que ele aceita pegar o Homem Aranha com Venom? Com o caminho livre ele podia ir assaltar um banco na meio da noite. Mal explicado.
3° Retcon de Flint como assassino do Tio Ben
Esse roteirista trabalha em O.C. também?
4° O mordomo de Harry
Ele revela no fim do filme que seu pai era um canalha, safado e maluco e que cuidou das feridas provocadas pelo planador. Peraí! Então ele não morreu na hora? Ele, em vez de ir ao hospital foi pra casa ser cuidado pelo mordomo?
Então, o Duende Verde na verdade era o Bátima?
E não menos importante...
5° Peter Parker se transformando em Emo!!!
Se você é um desgraçado dum fidaputa emo, não vai entender mesmo minha revolta, mas aquela puxadinha de cabelo e aquele olho pintado, quase me fizeram sair do cinema!!! Eu não acreditei naquilo! Só por isso perdeu uns três pontos o filme. Precisava tanto?

Palmas para James Franco (Harry Osborn) que atuou brilhantemente e mostrou que é só mudar as feições do rosto para parecer um cara mau!!!

Decepcionante!


Nota 6

6 de mai de 2007

Bátêman


Esse desenho foi feito pelo Roger Cruz. Eu só fiz um trampo no Photoshop em cima.
O cara tá com um Blog bem legal, mostrando os trampos atuais dele em X-Men First Class, confere aí, clicando no nome dele.

3 de mai de 2007

Peidou na hora errada

Só pra descontrair...

Darwin explica: todo baixinho é folgado

Deu no UOL:


.
"Baixinhos eram os preferidos das mulheres pré-históricas", diz estudo.
.
.
Os homens de baixa estatura eram irresistíveis para as mulheres na pré-história, pelo menos até que descobriram as armas. Essa diferença em relação aos cânones atuais de beleza é a tese central de um estudo da universidade norte-americana de Utah, que apareceu nesta quarta-feira na versão eletrônica do jornal "The Times".
Entre os Australopithecus, os hominídeos antepassados que viveram cerca de 4 milhões de anos atrás, a baixa estatura permitia combater melhor e garantia aos varões um enorme atrativo entre as mulheres.
"As pernas curtas asseguravam aos Australopithecus o êxito em combate", explicou o professor David Carrier em um artigo publicado na revista "Evolution", citado pelo Times on-line.
"Os Australopithecus mantiveram as pernas curtas durante dois milhões de anos porque um físico compacto e mais estável ajudava os varões a combater pelas mulheres", revela o professor em sua pesquisa, e explica que os homens mais baixos eram os mais agressivos."

1 de mai de 2007

O Clã dos Taturanas


Dia desses estava fazendo uma pesquisa na internet sobre as roupas e aparatos de ninjas e samurais, para entender mais esse universo marcial e a cultura oriental, coisas que quero tratar na HQ que estou produzindo, como já havia anunciado aqui.
e por acaso, por acaso mesmo, digitei as palavras “taturanas samurais” na busca do Google e o resultado me surpreendeu!
Veja o que achei:

“Taturanas Samurais:
Para a maioria vai soar como novidade, mas para aqueles que estavam mais envolvidos no projeto de criação das Tartarugas Ninjas sabe que, na verdade, a primeira idéia era que elas fossem Taturanas para terem poderes, como queimar e, não ninjas, pois algo tão sem honra poderia incentivar as crianças para o lado errado.

.

Surgiu assim o conceito das Taturanas Samurais.

.

Picasso, Dali, Munch e Canavajo. Personalidades parecidas com a dos tartarugas conhecidos, mas um pouco mais sombrias.

Munch e Dali brigavam muito entre si. Picasso era drogado que vivia deixando o grupo na mão enquanto Canavajo acabara ficando como o alívio cômico. A abertura da série seria uma obra a parte. Cada trecho da abertura apresentaria um personagem e cada apresentação seria pintada no estilo de cada personagem. O senhor feudal deles seria um Jacaré.


A idéia toda ia muito bem até começarem a pensar mais pra frente e se questionar de como seriam feitas as armaduras nos filmes. Isso já fez eles começarem a desistir da idéia.


Fora isso, idéia também foi vetada quando mandada do Japão para os EUA. Acharam que as crianças não cresceriam saudáveis assistindo essa série.


Outros disseram que a Igreja preferiria se DaVince e Michellangelo seriam melhores opções. Por um motivo ou por outro, as Taturanas samurais não chegaram a virar uma série e perderam espaço para suas primas pobres, as Tartarugas ninjas.


Prometo achar alguns desenhos da série e postar aqui.”

Agora, não lembro do blog que publicou isso, mas também não vem ao caso...


Bom, pra vocês entenderem melhor, esse foi o segundo nome dado ao Clã das Taturanas de Fogo.

Personagens que eu criei há uns 15 anos atrás.
Na época as Tartarugas Ninjas estavam bombando e tive a brilhante e original idéia de fazer um grupo, primeiramente composto de três meninos, chamados de Taturanas Ninjas, que ganhavam habilidades e armamento de um ancião a beira da morte.
O curioso é que eles não queriam assumir a responsabilidade dessas armas nem a de proteger a humanidade contra uma horda de monstros que estavam determinados a conquistar a Terra.
Esse ancião deposita seus últimos poderes nesses garotos, que se transformam em guerreiros ninjas com roupas bem parecidas com as das tartarugas, com a diferença de em vez de uma carapaça nas costas eles utilizam uma espécie de espinhos que podem queimar ao toque.
Um deles, Mike, até acha absurdo tudo aquilo, já que eles estão muito parecidos com certas tartarugas, e mais tarde descobre que as roupas e todo aquele aparato foi tirado da cabeça de Louis um aficionado nas Tartarugas Ninjas.
.

Assim nasceram os Taturanas Ninjas que depois se tornaram os Taturanas Samurais, depois os Taturanas Marciais e hoje conhecidos como o clã dos Taturanas de Fogo.

Os nomes também eram paródias.
Os meninos se chamavam Louis, Mike, Nach e Howard e como taturanas era Louisnardo, Mikelângelo, Nachatello e Howardel.
Mas as semelhanças com as Tartarugas param por aí, as armas eram totalmente diferentes, os objetivos, os inimigos, todo lance da história que era mais cômica do que heróica. Era uma paródia a todo e qualquer grupo de super-seres. É por isso que ela foi toda repensada.
Muita gente me falou que não podia usar as armas que usava, para retratar ninjas, samurais, karatekas, ou seja lá o que fosse, que esteja na terra do sol nascente ou que manja de artes marciais, pois meus personagens empunhavam bumerangues, socos-ingleses, chicotes e martelos.

.
Aí eu fui pesquisar...
E segundo eu pude constatar “As artes marciais são sistemas de práticas e tradições para treinamento de combate, usualmente (mas nem sempre) sem o uso de armas de fogo ou outros dispositivos modernos.” e “A origem do termo artes marciais é ocidental e latina, uma referência às artes de guerra e luta. Sua origem é vinculada ao deus da guerra greco-romano Marte. Assim, as artes marciais segundo esta mitologia são as artes ensinadas pelo Deus Marte aos homens. As artes militares ou marciais são todas as práticas utilizadas pelos exércitos no desenvolvimento de treinamento e habilidades para o uso em guerras não importando a origem ou povo que a criou.”
Pronto! Tava resolvido. Eu podia sim usá-las.
Mas aí, pra facilitar a aceitação dos leitores, eu criei toda aquela história de 3ª Guerra Mundial, união de alguns povos e até dos continentes.
Facilitei pros leitores e compliquei pra mim...
Tive que criar mapas das cidades e até desse novo mundo, nada muito simples mas ficou bem legal.

Outro problema que eu tive foi a aceitação de uma barata como mestre deles. Sim! Uma barata. O ancião não havia morrido, só precisava de um corpo para seu espírito habitar e ele só conseguiu uma barata gigante como receptáculo.
Mas ele consegue reverter essa situação, não posso aqui ficar contando tudo...
Outro problema foram os nomes. Hoje eu tive que muda-los. Não faz mais sentido mantê-los como eram.
As roupas vão mudar também, mas sinceramente acho que as armas continuam.
Fazem parte da história, são poderosas e mágicas e o melhor...dão oportunidade de fazer vários links para outras histórias!!!
.
Eu não sei se esse papo de Taturanas Samurais descrita acima é verídica ou invenção de alguém, mas até que ficou legal e criativa.
Principalmente a parte do “Acharam que as crianças não cresceriam saudáveis assistindo essa série”.
É o tipo de série que eu curto fazer. =)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...